«Cada ratinha tem o seu mistério e desvendar uma não quer dizer que percebemos o mistério total», Puchkine, Diário Secreto
sexta-feira, julho 28, 2006,1:14 da tarde
Ceres

Há coisas que têm sabores únicos e aos quais associamos sensações e memórias.
Ao Ceres de uva (Hanepoot) associo o chegar a casa depois de longas tardes de verão na praia do Pedrógão no concelho de Leiria, e ver o meu pai a ler junto à janela enorme.
Desde esses tempos que nunca mais tinha visto à venda tal sumo e tendo-o encontrado no outro dia num Intermarché, nem hesitei.
Comprei e destruiu-se um mito de infância. Ceres afinal não é uma marca espanhola mas sim sul-africana.
Apesar daquela genuína mágoa lusitana de eles conseguirem produzir vinho do Porto e Tequilla (melhor que a original, segundo consta), tenho que dar a mão à palmatória: a porcaria do sumo é genial.

 
posted by magnuspetrus
Permalink ¤