«Cada ratinha tem o seu mistério e desvendar uma não quer dizer que percebemos o mistério total», Puchkine, Diário Secreto
quinta-feira, julho 27, 2006,1:07 da tarde
FMM

Ontem lá decidi pegar no meu cadáver e ir até Sines sob a promessa de um espectáculo de jazz celta.
Confesso que dito assim (jazz celta) soa bem. Soa mesmo bem.
Fui e não gostei. Até vim embora mais cedo.

Não foi um não gostar radical, típico dos radicais de esquerda que não gostam dos EUA, nem dos governos, nem do capitalismo nem de nada civilizado. E ontem, podem crer em mim, havia uma porradeirão de malta dessa. Foi simplesmente um achar que podiam dar mais do que fizeram, ou estavam a fazer até me ir embora.

Mas mesmo assim valeu a pena para afugentar momentaneamente os fantasmas do marasmo da silly willy season.

 
posted by magnuspetrus
Permalink ¤