«Cada ratinha tem o seu mistério e desvendar uma não quer dizer que percebemos o mistério total», Puchkine, Diário Secreto
terça-feira, julho 18, 2006,10:31 da manhã
Louca profissão
No fim de uma longa tarde sentado em frente a uma pequena imensidade de livros que nunca terei tempo de ler, surge um genuíno dread das aldeias (boné, brinquinho e um forte sotaque alentejano). Pois tal alma não hesita em me perguntar pelo Pequeno Grande Livro dos Feitiços. Ao constatar que o livro já não se encontrava na biblioteca (alguém teve o bom senso de o retirar para todo o sempre), desabafou-me que o outro livro que ele queria também já tinha sido roubado.
Revelando um sentimental interesse por esta causa, perguntei qual era:O Livro de S. Cipriano.
Nesta altura invadiu-me a expressão de origem anglo-saxónica: get a life (sendo sempre de valor ter em conta a variável fuckin' entre "a" e "life").
Mas neste momento em que enterrava por completo a sua imagem nos confins da existência dos dreads das aldeias, o rapaz surpreendeu-me ao pedir livros sobre arquitectura. Cedo consegui descobrir que ele não percebia um chavo de arquitectura (i.e., sabia ainda menos do que eu) mas queria vir a ser arquitecto.
Pelo menos há uma vontade. Que Deus acompanhe o destino deste jovem, já que eu não o conseguirei fazer. Nunca.
 
posted by magnuspetrus
Permalink ¤