«Cada ratinha tem o seu mistério e desvendar uma não quer dizer que percebemos o mistério total», Puchkine, Diário Secreto
quinta-feira, agosto 24, 2006,7:21 da tarde
De férias

Nada como aproveitar o período de férias para tentar juntar fragmentos de conversas escutadas ao acaso por essas praias do parque natural do SW e qualquer coisa vicentina:
- Arrête, porra! Tá lá quietinho, arrête!
- Ya meu, gande cena essa. O gajo acordou e tinha lá o outro ao lado todo nú...
- Que achas?... Hum?
- Eh pá, num me chateies carago! Toue a ficare fartinho de tie!

Nestas pequenas pérolas recolhidas de forma ingénua e pura, revela-se uma interessante perspectiva sociológica das nossas praias que vai desde o mais comum e mortal dos emigrantes que se sediaram em França ou na Suiça ou na Bélgica, passando pelos típicos jovens cujo consumo de estupefaccientes afectou já grande parte do processo cognitivo, os monólogos do sono e a desmesurada quantidade de morcões.
Mas claro está que em Odeceixe (ou Odesseixe de acordo com as antigas casas de cantoneiros) não poderia faltar uma sede do PC digna de um Portugal no seu melhor.
E assim se fazem umas férias.
Ou isso.
 
posted by magnuspetrus
Permalink ¤