«Cada ratinha tem o seu mistério e desvendar uma não quer dizer que percebemos o mistério total», Puchkine, Diário Secreto
terça-feira, setembro 19, 2006,8:57 da manhã
CAF III

Os franceses têm uma consciência dos seus direitos inalienáveis deturpada o suficiente a fim de tornar o processo de condução rodoviária uma coisa verdadeiramente tenebrosa.
Partindo do tal princípio de que eu (indivíduo) tenho direito de utilizar a estrada (fruto dos dinheiros públicos) da maneira que me aprover, posso afirmar com conhecimento de causa, que apitam mais do que seria razoável.
Situação:
Perante a presença de um veículo, um homem decide atravessar a estrada fora da passadeira como se o fizesse perante um sinal verde para os peões. Uma vez avisado pelo ocndutor do veículo e prestes a ser atropelado violentamente, saltou para o passeio e iniciou uma chorrilhada de vitupérios digna de um jogo de futebol. O motorista, esse, foi a apitar de forma esquizofrénica até desaparecer abençoadamente na linha do horizonte.
 
posted by magnuspetrus
Permalink ¤