«Cada ratinha tem o seu mistério e desvendar uma não quer dizer que percebemos o mistério total», Puchkine, Diário Secreto
quarta-feira, outubro 11, 2006,9:42 da manhã
Evolução?
No início da minha idiota fase da adolescência, julgava-me extremamente radical pois ouvia o Dookie dos Green Day logo pela manhhã. Hoje sei que isso era mais uma atitude pop que outra coisa qualquer. Com o evoluir da coisa, deixei-me de Green Day e pus-me a ouvir Oasis, o que nada abona em favor da minha pessoa.
O findar do Liceu trouxe um pouco de bom senso com o Só do Jorge Palma a despertar-me. Essa melancolia matinal foi-se agravando com a introdução do Fado Hilário e o Dies Irae do Requiem de Mozart.
Ao acabar o curso, dediquei-me a um longo período não auditivo a fim de repor um pouco de sanidade.
Mas por pouco tempo: agora a minha música matinal depende única e exclusivamente da última coisa que tenha ouvido no dia anterior, muito graças ao agravado estado de sonolência que me afecta invariavelmente pela manhã.


PS- Será que hoje estou um pouco obcecado com esta temática matinal?
 
posted by magnuspetrus
Permalink ¤