«Cada ratinha tem o seu mistério e desvendar uma não quer dizer que percebemos o mistério total», Puchkine, Diário Secreto
sexta-feira, dezembro 22, 2006,10:06 da manhã
Já é quase Natal!!
Ler as cartas do Burroughs ao Ginsberg pela manhã é assim como morar em Massamá e trabalhar na baixa, fazendo a linha de Sintra, e a linha azul do metro logo pela manhã e pelo fim de tarde.
Passo a exemplificar:
"Tinha os pés como blocos de madeira. Vomitei violentamente encostado a uma árvore e caí para o chão em sofrimento sem remédio. Não sentia nada como que coberto por camadas de algodão."
15 de Abril de 53
 
posted by magnuspetrus
Permalink ¤