«Cada ratinha tem o seu mistério e desvendar uma não quer dizer que percebemos o mistério total», Puchkine, Diário Secreto
segunda-feira, janeiro 15, 2007,12:57 da tarde
Notas par auma definição de matança I
9h00 chego a um monte perdido nos arredores de Grândola.
Apesar do frio intenso que se faz sentir, há um calor misturado com ansiedade no ar, que me faz desde logo sentir em casa.
Os preparativos há muito que começaram. Para as mulheres, na noite anterior com a confecção dos bolos e o preparar de alhos, assim como uma mão cheia de outras coisas que não faço ideia como se chamam. Para os homens, há cerca de duas horas, com o amolar das facas.Ainda antes de se trazer o porco, há quem já se aventure nuns copos de Porto e/ou bagaço para aquecer a alma, pois o dia promete ser longo.
Ensonado, fico-me pelo café e espero ansiosamente pelo início.
Mas não sou o único. Pelos espaços do monte discutem-se outras matanças, o peso das porcas, os dias de caça e a qualidade da colheita deste ano.
As porcas estão prestes a conhecer o seu destino...
 
posted by magnuspetrus
Permalink ¤